(Foto: Ilha das Flores-Açores)

Azul de tanto amar

Que ama o céu

Que ama o mar.

(Foto: Ilha das Flores)

Amarelo amigo singelo

Que no sol se recompõe

Ao amanhecer e ao entardecer

Ressurge sempre mais belo.

(Foto: Sintra)

Vermelho assusta-me

Mas da cumeeira do monte

Surge ao entardecer por detrás do Palácio da Pena

Deixando-me numa felicidade plena.

(Foto: Veratojo)

Verde da floresta

Que nos oxigena a todo momento

Cor da esperança que nos resta

Buscando vida constante.

E o branco que em tudo se encontra

Na neve se farta

Na nuvem se encharca

De chuva de prata.

 

Preto, meu Deus!!

Asfalto gélido, noite sem luar

Prefiro o claro que todos podem me salvar.

 (Foto: Jardim da minha casa em Sintra)

Deleito-me na cor rosa

Em suas flores e seus aromas

Em todo amor são persistentes

Oh, rosas, ….

                                                      (Rô Almada)






publicado por RO ALMADA às 21:10